23 de março de 2011

Bulling No



Imagine-se sendo alvo de chacotas, agressões e desprezo por cinco anos de sua vida. Visualize-se sendo apontado e humilhado por ser quem você é. Pra encerrar este exercício mental imagine-se apenas por alguns segundos como seria a sua vida se todos os seus amigos simplesmente passassem a não querer estar  ao seu lado, pelo simples fato de você não seguir padrões estéticos impostos por uma sociedade estúpida e irracional. Difícil, não é?

Imagine agora como você se sentiria, se tudo isso ocorre-se quando você tivesse apenas 10 anos de idade. Talvez colocando-se no lugar do personagem dessa história - que bem poderia ser ficção (e que pena que não é) - podemos chegar perto do que sentiu Casey Haynes, um adolescente australiano de 15 anos (alguns sites dizem que ele tem 16) que ficou conhecido no mundo, após a divulgação de um vídeo em que aparece revidando as agressões de um “colega” de escola, Ritchard Gale, de 12 anos.

O vídeo foi gravado por outros alunos que assistiam e estimulavam a agressão, e após ser postado no Youtube ganhou o mundo, tornando-se referência para uma discussão que parece não ter fim: o Bullying.

Pra algumas pessoas esse nome gringo talvez não expresse o que de fato representa. Porém o Bullying, termo derivado da palavra Bully, que em tradução literal quer dizer Valentão, é bem mais comum do que se imagina.

E quando essa agressão – SIM! BULLYING É UMA AGRESSÃO – acontece no período escolar suas conseqüências podem ser ainda piores, por fazer de seus alvos crianças e jovens ainda em formação psicológica.  E que, na maioria das vezes, são frutos de uma típica família moderna, onde os pais não têm tempo, ao menos, para observarem o comportamento dos filhos, quem dirá, saber como estão psicologicamente.    

As cenas da retaliação de Casey são chocantes, mas acima de tudo preocupantes. Ainda mais quando sabemos que existem diversos “Caseys” espalhados pelo mundo. Talvez ai pertinho de você ou ainda pior, talvez você seja um desses “Caseys”.

A violência nunca é a melhor solução, entretanto, calar-se também não. Procurar ajuda, conversar com a família, talvez até mesmo criar um blog (quem sabe anônimo) possa servir como “válvula de escape” para os conflitos causados por Bullys (lê-se Suckers). Além de ajudar na compreensão de que ninguém veio ao mundo com a obrigação de ser igual ao outro, de que somos únicos por tanto especiais, e que sim! Existem pessoas humanas com quem podemos nos relacionar (mesmo que virtualmente), e que gostaram de nós, exatamente como somos.

Assistam a entrevista com o Casey, nem herói nem bandido, apenas um ser humano vitimado por uma sociedade controvérsia e estúpida.







Ps. Na busca por maiores informações sobre o caso, encontrei um site – que nem vale citar o nome – onde o título da matéria era: Gordinho, que revidou Bulling, fala em entrevista.
Putzzzz...  Bullying DUPLO agora, né? Por que essa mania de querer classificar as pessoas com adjetivos pejorativos? Quem deu a entrevista foi um jovem, que inclusive tem nome e sobrenome. Aghrrrr





4 comentários:

  1. Flor, desculpa, mas discordo de vc!
    Primeiramente eu já sofri bullyng sem nem ao menos saber, alias na época ninguém comentava sobre isso. Mas minha mãe sempre me apoiou, nunca me abandonou, passou (e passa) a vida inteira me apoiando, mas isso não impediu que pessoas mediocres me fizesse isso, eu era gordinha, baixinha, pretinha, cabelinho bom bril, entre outros apelidinhos que não gostaria de citar.
    Eu superei tudo isso, hoje esfrego na cara dos bonitão e bonitona q me zoava q agora eu estou na faculdade, empregada e com um namorado lindo, enquanto elas estão por ai, fazendo um monte de coisas erradas, fora da lei.
    Meu irmão tbm é gordinho, isso é de genética, qnd atingimos 14 anos começamos a emagrecer (todos da minha familia), só que meu irmão ainda tem 9 anos, ele é um fofo, hiper carinhoso, mas sofre bullying na escola pelos "amiguinhos"(termo referente a diabinhos), minha mãe já conversou com a professora, que já conversou com a sala, mas mesmo assim ainda tem um engraçadinho (FDP) q continua.
    Esperamos que a sociedade melhore, mas do jeito que está, não vejo desenvolvimento.

    ResponderExcluir
  2. Oie "Mundo das Unhas" fiquei feliz em saber do seu depoimento, acho até que acrescentou muito ao meu post. Entretanto, não entendi em que parte você diz discordar do que escrevi. :/
    Fico feliz que tenha superado essa, que pra mim, configura-se uma das piores agressão, já que em alguns casos as marcas são pra sempre. E concordo com você na torcida para que a sociedade melhore.

    Beijinhos pra vc e seu irmão!!!

    Juh

    ResponderExcluir
  3. Oi Juh, então a parte que eu disse que discordo, foi quando falou dos pais, como eu disse os pais nem sempre são culpados e sim a sociedade e a mídia que impõe padrões.
    Obrigada flor...
    ahh e meu nome é Jéssica, sou do blog Mundo das Unhas TJ e do Vanilla Juicee :D

    ResponderExcluir
  4. Bullying é um assunto muito sério e finalmente esta sendo alvo de atenção. Já nào é de hoje que isso acontece, eu sofri bullying.
    Acho muito importante aconscientização das pessoas com este tema.
    E importante que não são somente crianças que passam por isso.

    Ótimo tema Ju.

    Beijocas

    Vivi
    Filmes, livros e séries

    ResponderExcluir

Contato






PARCEIROS



INSTAGRAM