20 de abril de 2014

Então, é Páscoa!

Revisando os meus arquivos do blog encontrei um post super legal que escrevi na Páscoa de 2011, que vale relembrar...

Hoje vim desejar uma Feliz Páscoa pra todos vocês, mas sem ovos de chocolate e coelhos. Não (somente) por motivos estéticos, mas por uma consciência mais realista do que esta data de fato representa. 

Vivemos numa sociedade extremamente capitalista e historicamente equivocada com datas e comemorações de "faz de conta", que perpassam de geração em geração e que nos induzem ao erro, afinal de contas "todo mundo faz", "todo mundo acredita". Mas hoje, caso vocês tenham interesse em conhecer um pouco da história real da Páscoa, continuem a ler este post, que pois a partir de agora iremos viajar no tempo juntos. E ai, preparados para essa super expedição? Simbora...

Historicamente o surgimento da imagem do coelho como símbolo de nascimento, vida nova, surgiu com o povo egípcio a zilhões de anos atrás, em festas que eles realizavam no início da primavera. Já a celebração em torno dos ovos (que gerações após foram transformados em chocolate) tem registro entre os povos persas e também egípcios. (Vocês acreditam que alguns deles acreditavam que a terra teria saído de um ovo gigante? rsrs pois é, a galera viajava geral na maionese. )

Os egípcios costumavam tingir os ovos com cores primaveris, acreditando que isso lhes traria sorte. Mas, o equivoco da associação de ovos coloridos na comemoração da páscoa, é historicamente atribuída aos cristãos primitivos da Mesopotâmia, depois a própria igreja Romana introduziu outros elementos super nada haver com o que biblicamente se conhece por Páscoa.

Pra entender melhor, a gente tem que voltar mais ainda no tempo. A palavra Páscoa, vem do hebraico "Pesah", que quer dizer passar por cima ou poupar e que tem significado totalmente diferente do que vem sendo celebrado por anos e anos. A Páscoa foi uma comemoração que passou a acontecer sempre na época da primavera (opa, nesse exato momento o Brasil não está geograficamente falando, no outono? Caraca! Vocês têm noção da bagunça que fizeram com o calendário? )  após um evento, biblicamente registrado, que ocorreu no Egito, após o povo Israel ficar escravisado por 400 anos sob a tirania do Faraó, comandante daquela terra.

Para liberta-los, Deus enviou seu servo Moisés até o Faraó com uma ordem divida: "Deixa ir o meu povo". Porém Faraó não deu ouvidos a vontade de Deus.
Foi então que Deus lançou sobre o Egito 10 pragas, ou seja 10 fatos que iriam maltratar o povo do Egito, a fim de amolecer o coração do Faraó. Ao chegar à decima praga, aquela que iria destruir por completo aquele lugar e todas as pessoas que ali habitavam, Deus ordenou que o povo israelense sacrificasse um cordeiro macho de um ano de idade e com seu sangue marcasse a entrada de suas casas, para que o anjo destruidor os poupasse da destruição. E assim aconteceu, o povo do Egito e tudo que lá existia foi destruído, tamanha a arrogância e a maldade de seu governante, que ousou passar por cima das ordens de Deus.

E o povo de Israel finalmente conseguiu sua liberdade e como celebração, passaram a festejar a Páscoa, ou seja o livramento que Deus tinha os dado, sempre no período da primavera.

Profeticamente esse fato tinha relação direta com o que viria a acontecer anos depois, quando Jesus foi enviado a terra por Deus.

O fato da crucificação e morte de Jesus ter ocorrido exatamente na época de celebração da Páscoa não foi uma simples coincidência,  Jesus foi o nosso "cordeiro humano" enviado por Deus para morrer e ter o seu sangue derramado em sacrifício pelo pecado da humanidade, ou seja, o sangue que pouparia a humanidade da destruição, assim como poupou os prisioneiros do Egito. 

A historia bíblica, que pra muitos (e pra mim) é a mais antiga e por tanto a mais próxima da realidade é realmente muito bonita para ser confundida e erroneamente denegrida por gerações e gerações. 

Por isso hoje, eu não queria simplesmente felicita-los com Boa Páscoa, sem antes compartilhar o real sentido dessa comemoração. Que aqui no Brasil já começa errando pela data, afinal não estamos na primavera, mas enfim... se essa foi a época instituída para essa celebração, então que celebremos, mas não a ovos de chocolate ou coelhinhos, celebremos ao sacrifício que foi feito e aos livramentos que nos são dados todos os dias, desde a hora em que acordamos até o momento em que voltamos a dormir. Que tal pararmos hoje, um só minuto, para agradecermos a Deus por nossas vidas, pela saúde, por aqueles que amamos... e ai, convite aceito?


Boa Páscoa!

Fonte de Pesquisa:Estudo.GospelMais | Referências Bíblicas: Êxodo 12,  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contato






PARCEIROS



INSTAGRAM