YOUTUBE | O desafio de comer devagar


Não é de hoje que o estado de ócio e uma câmera na mão resultam em obras de artes, algumas muito boas, o que talvez não seja o caso deste vídeo, mas ainda assim tá valendo. rsrs
Ontem, durante o lanchinho da tarde, que trago todos os dias por trabalho, comecei a refletir sobre a mastigação. Um dos principais fatores que nos fazem engordar colossalmente. E ai, resolvi fazer um vídeo me desafiando a comer um biscoitinho em 10 mordidinhas. O resultado vocês conferem no vídeo a baixo:


Tirando a minha total falta de noção em errar a conta kkkkkkkk... a brincadeira apesar de boba é super séria. Segundo os especialistas, comer lentamente é extremamente importante, pois é na boca que se inicia a digestão dos alimentos.

Em entrevista, a revista Corpo a Corpo o Dr. Sérgio Barrichello, cirurgião geral, endoscopista e especialista em emagrecimento do HC-FMUSP e médico da Clínica Healthme Gerenciamento de Perda de Peso (SP) destacou que a mastigação promove a quebra dos alimentos em partículas menores e a saliva, além de umedecer a comida, ainda possui uma enzima conhecida como ptialina ou amilase salivar, que inicia a digestão do amido (açúcar complexo).

Veja mais motivos pra caprichar na mastigação lenta e prazeirosa:

1) O hábito da boa mastigação estimula a produção de hormônios da saciedade como a CCK (coleciostoquinina), assim como reduz a produção de hormônios que aumentam a fome, como a grelina. Ou seja, comendo devagar você vai conseguir sem stress esperar 3 horas até a sua próxima refeição.

2)  A cada garfada é reduzida a ingestão de calorias na refeição (em torno de 12% a menos de calorias ingeridas), o que pode permitir a redução paulatina do peso corporal. Traduzindo: a mesma comida pode gerar calórias diferentes dependendo do ritmo que você come.

3) A ingestão mais lenta permite que se desenvolva a força mastigatória ideal, o que leva a ativação dos receptores dos ligamentos periodontais, que enviam informações a um centro de saciedade no cérebro, reduzindo a fome. Ou seja, comendo lentamente você faz a sua cachola entender que aquele alimento já lhe basta.

4) Evita desconfortos gastrointestinais como azias, dores abdominais, queimação, eructação e flatulência (gases), pois muitas vezes as pessoas engolem ar no momento da refeição (aerofagia). Essa nem precisa explicar, faça um bem a humanidade e solte menos pum. rsrs

5) Este procedimento permite que sintamos melhor o aroma e o sabor dos alimentos. Quanto maior a intensidade do sabor, menor o risco de se empanturrar simplesmente para satisfazer as papilas gustativas. Sendo assim, reaprenda a comer experimentando os sabores, uma dica bacana é tentar descobrir os ingredientes que tem no alimento, através da degustação.

6) A mastigação lenta contribui para uma boa digestão. Vamô dar uma forcinha pro nosso corpitcho, né?

7) Consequentemente, uma boa digestão ajuda a reduzir ou prevenir o acúmulo de gordura na região abdominal. A mastigação adequada facilita o trabalho do sistema digestório, evitando a distensão abdominal e a sensação de “estufamento” que podem favorecer o acúmulo de gorduras na região. Em outras palavras, melhor 10 mastigadas do que 100 abdominais. Vai por mim!

8) Favorece a saúde buco maxilar. A mastigação adequada fortalece os músculos da face, articulações e dentes. Põe essa engenhoca pra funcionar, amiga!!!


Bom meus amores, é isso... espero que vocês tenham curtido.
Não esqueçam de se inscrever lá no canal. Estou preparando novos vídeos e acho que essa troca de informações vai ser muito bacana pra nós todas.

FORÇA, FOCO E FÉ...

Vamô simbora!!!


Juh Barreto

Apaixonada por Bytes e Bits, açaí e comida japonesa. Jornalista por amor, social media por função e blogueira por vocação. Quer continuar esse papo? Me manda um email: contato.tdm@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário