Bullying | Não se cale, não seja cúmplice




Quando pequena, numa dessas festinhas juninas de escola, me lembro de ser rejeitada pelos meninos, na hora de escolher o par pra dançar, ao ponto da professora ter que intervir e quase obrigar um dos garotos a ser meu par. A rejeição talvez fosse por eu ser a gordinha da sala, a mais desengonçada, a mais alta. Sei la!

Algum tempo depois, já na faculdade, também não era das mais populares. Mas os motivos eram outros: por ser cristã, por não beber, por - consequência - não participar das festinhas da turma e por incrível que pareça, acreditem, por estar ali para estudar. Pois é, por mais contraditório que possa parecer, ser CDF na universidade às vezes é sinônimo de poucos amigos.

Mas, o fato é que em nenhum desses momentos me recordo de ter ficado profundamente chateada. Claro que a sensação de se sentir "excluída" não é a das melhores. Mas acredito que a estrutura que recebi dos meus pais, me tornou uma pessoa tranquila com relação ao que sou e ao valor que tenho.

Sendo assim, independente do que as pessoas achavam ao eu respeito eu sabia o valor que tinha, sabia que o mundo ia muito além daquele ciclo e que eu sobreviveria a tudo aquilo, e de fato sobrevivi.

Entretanto, para algumas pessoas isso não é tão simples assim. A rejeição, seja por preconceito ou bullying gratuito e estúpido, é muito triste e pode sim ter graves consequências. Como aconteceu com Daniel Briggs, um jovem de 16 anos que não suportou nove anos de maus tratos, dia após dia por seus colegas de escola, que entre outras coisas o atiravam no lixo. Um dia um SMS enviado por um desses colegas deu fim a tudo isso, mas da pior forma possível.




Embora essas histórias pareçam fazer parte de um roteiro de "ficção" ou que estão muito distantes do nosso dia a dia, infelizmente elas são reais e podem acontecer em qualquer lugar, a qualquer momento, muito próximo de você. 

Não importa quem seja o agressor ou a pessoa agredida, se você perceber algo do tipo e manter-se indiferente, será tão culpado quanto.

Não seja conivente com atitudes desumanas como essas, bullying mata!!!




Instagram  |  Fanpage  |  YouTube  |  Sua Opinião

Juh Barreto

Apaixonada por Bytes e Bits, açaí e comida japonesa. Jornalista por amor, social media por função e blogueira por vocação. Quer continuar esse papo? Me manda um email: contato.tdm@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário